TCE-PE anula concurso que aprovou parentes do ex-prefeito de Inajá

large_1438709483

O tribunal comprovou que “só o ex-prefeito Airon Timóteo teve 26 parentes aprovados, entre eles cinco irmãos e vários primos”.

O concurso público de Inajá, Sertão de Pernambuco, teve confirmada sua anulação pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE). A decisão divulgada nesta quinta-feira (13) foi tomada na quarta-feira (12), após o ex-prefeito do município interpor um recurso à recomendação dada pelo órgão em maio deste ano. O processo seletivo para o preenchimento dos 296 cargos da prefeitura ocorreu em 2012. O tribunal comprovou que “só o [ex-]prefeito Airon Timóteo teve 26 parentes aprovados, entre eles cinco irmãos e vários primos, caracterizando indícios de fraude”.

O G1 entrou em contato com a Prefeitura de Inajá via telefone e e-mail, mas não obteve resposta sobre o caso. Segundo o TCE, o recurso interposto por Airon Timóteo Cavalcanti “não apresentou nenhum documento novo capaz de solucionar as irregularidades”.

O concurso foi considerado inválido pelo TCE-PE porque uma grande parte dos aprovados tinha relação direta de parentesco com o ex-prefeito e outros políticos do município, de acordo com informações da assessoria de imprensa.

Além disso, foi verificado que os cartões de resposta foram avaliados de forma manual, apesar de o modelo permitir apuração eletrônica, e uma parte dos candidatos familiares de políticos obtiveram nota máxima.

Também foi considerada ilegal a nomeação dos candidatos aprovados, por ultrapassar o limite de gastos estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. “Lamento pelos candidatos que estudaram e fizeram o concurso de boa fé, mas este tribunal não tem como salvá-lo”, disse o conselheiro do TCE-PE, João Campos.

Deixe uma resposta