Silvio Costa Filho cobra regularização de repasses para a UPA Imbiribeira

silvio_costa_filhoO deputado Silvio Costa Filho (PTB), líder da Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), visitou na tarde desta sexta-feira (6) a UPA Imbiribeira – Maria Esther Souto Carvalho, para conferir as dificuldades enfrentadas pela unidade. A visita foi motivada por nota publicada na imprensa pelo Instituto Pernambucano de Assistência à Saúde (IPAS), organização social (OS) responsável pela administração da UPA, denunciando o atraso nos repasses de recursos para a unidade.

Representando a Bancada de Oposição, Costa Filho, ouviu da coordenadora geral da UPA Imbiribeira, Isabelle Braga, o relato das dificuldades enfrentadas por causa no atraso dos repasses, como a redução da quantidade de atendimentos. Ainda hoje estamos aguardando o repasse de setembro. Desde 2014, quando a situação começou a se agravar, temos um déficit de aproximadamente R$ 2 milhões, contou.

Isabelle conta que já teve que cortar em 10% o orçamento da unidade, mas mesmo assim os atrasos continuam. Segundo a nota publicada pelo IPAS, o déficit financeiro vem repercutindo principalmente no pagamento aos fornecedores e na redução do quadro de pessoal, comprometendo o atendimento à população. Nem a nossa ambulância, que está na manutenção, conseguimos colocar em operação por falta de recursos, relatou a coordenadora da unidade.

Para Silvio Costa Filho, falta ao Governo a decisão de priorizar o atendimento à população. O Estado tem priorizado outras áreas, como publicidade, consultorias e manutenção da Arena Pernambuco, enquanto acumula um passivo de R$ 2 milhões com uma UPA como a da Imbiribeira, questionou. Desde o início do ano, a Bancada de Oposição na Alepe vem realizando visitas a hospitais e UPAs e denunciando a situação de colapso vivido atualmente pelo sistema público de saúde.

Em nome da Oposição, o parlamentar se colocou à disposição dos profissionais da UPA, que têm se desdobrado para manter o atendimento à população, para cobrar do Governo do Estado e da Secretaria de Saúde, a regularização dos repasses para o IPAS.  Entendemos que cabe ao governador fazer escolhas e o correto seria adiar pagamentos que podem esperar, como o feito à Arena, e priorizar os serviços prestados à população. Principalmente na saúde, por estarmos lidando com a vida dos pernambucanos, destacou Costa Filho.

Deixe uma resposta