“Se toda a documentação foi entregue por que embargar?”, questiona vice-prefeito Marcos Crente sobre obra de abastecimento em Tabira

O vice-prefeito de Tabira, Marcos Crente (DEM), esteve falando ao comunicador Júnior Alves no programa Cidade Alerta, da Cidade FM, nesta quinta-feira (7) e inicialmente comentou a emenda conquistada por ele e outras lideranças junto ao deputado federal Tadeu Alencar.

Marcos deu detalhes e disse que antes de solicitar o recurso ao deputado, reuniu-se com a prefeita Nicinha Melo (MDB), o ex-prefeito Dinca e outros membros do governo municipal e ficou acordado que o dinheiro seria destinado para a compra de um ônibus para transportar os pacientes do TFD.

Perguntado se ele concordaria, caso houvesse por parte da gestão uma mudança de planos e o dinheiro fosse encaminhado para outro fim, Marcos foi categórico.

“Não concordo de jeito nenhum! A gente tem que honrar os compromissos que a gente faz. Como iremos conseguir mais alguma coisa para o município se a gente prometer uma coisa e fizer outra? Não concordo! O dinheiro tem que ir para a compra do ônibus”, afirmou o vice-prefeito.

Provocado a falar sobre o embargo da obra de abastecimento que vai levar água potável para os povoados de Arara e Brejinho, Marcos disse que precisa ver o projeto e ver o que realmente aconteceu, mas afirmou que se for para abrir as valas e deixar as ruas como a Flamac deixou, ele também faria o mesmo, embargaria.

Lembrado que o deputado federal Carlos Veras (PT) afirmou que a Compesa já apresentou à prefeitura toda a documentação solicitada, Marcos voltou atrás e disse que, sendo assim, com tudo apresentado e legalizado, não concorda com a atitude da gestão e que a prefeita agiu mal em ter embargado.

“Isso não pode acontecer, ela não pode fazer isso. Se toda a documentação foi entregue e por quê embargar? E fica no ar: Por que embargar? Não pode acontecer isso. Eu sou contra!”, afirmou o vice-prefeito.

Ouça:

Deixe uma resposta