Recife tem festival de experiências digitais gratuito

Com quase uma centena de palestrantes convidados e o mais de 180 atividades, o Rec’n’Play, festival de experiências digitais, que começa na próxima quinta-feira (30.11) e termina no noite do domingo (3/12), agora será totalmente gratuito. A ação – realizada pelo Porto Digital, Grupo Duca e Ampla – vai transformar o Bairro do Recife numa ilha de tecnologia, negócios, música, empreendedorismo, design, games, fotografia e outras iniciativas.

Incialmente, havia cobrança de ingressos para algumas atrações, mas a entrada de dois patrocinadores, esta semana, acabou viabilizando a gratuidade para todos. As empresas Elcoma Networks e Smart Networks passam a ser patrocinadoras master do evento. As duas trabalham com redes de comunicação e estão instaladas no bairro do Recife. O festival também tem o patrocínio daPrefeitura da Cidade do Recife e Governo dePernambuco (Secretaria de Turismo, Esportese Lazer – Seturel e Empetur) e apoio é doSebrae em Pernambuco.

O Rec’n’Play contará com sete temas centrais (trilhas): tecnologia da informação, internet das coisas, design, games, fotografia, eSports e música que contarão com eventos simultâneos e sequenciais, entre palestras, oficinas, apresentações e mostra de cases de sucesso. O modelo da programação em váriospalcos foi pensado para gerar novos vínculosentre os participantes e a cidade.

O termo trilha traz uma dimensão conceitualpara o festival, implicando na interação entreatividades no campo da educação, que podemse desdobrar em puro entretenimento e quepodem, mais adiante, se converter emnegócios. Cada trilha está sobresponsabilidade de um curador. Os curadorescompõem um time formado por pessoas queestão no mercado, na esfera pública ouprivada, desenvolvendo serviços de grandeimpacto em seu segmento.

A ideia do Porto Digital em promover oRec’n’Play foi dar ao ecossistema local e aoRecife um evento de grande porte que dialoguecom a cidade, em um ambiente onde ainovação e o empreendedorismo andam juntoscom a arte, a cultura, a ciência e a tecnologia. “Não temos a ambição de formular sozinhostodas as questões abordadas pelo festival. Poressa razão, identificamos e mobilizamosparceiros para que eles atuem como curadoresdo Rec’n’Play”, explica Francisco Saboya,presidente do Porto Digital. “Assim, vamostrabalhar as mais diversas áreas, entre elas,games, cidades sustentáveis e inteligentes,robótica e internet das coisas. Todas divididasem trilhas”, completa.

O Rec’n’Play terá como foco a criação de um ambiente para negócios. Na trilha de tecnologia da informação, por exemplo, as startups serão o foco de discussões acerca de propriedade digital, administração de pequenos negócios, além dos benefícios da tecnologia nesse tipo de negócio. Já a o segmento de internet das coisas (IoT) discutirá seus benefícios e potencial dentro da economia brasileira.

O universo de games também tem espaço garantido dentro do festival. Serão duas trilhas destinadas exclusivamente a discutir o assunto e o mercado brasileiro e internacional dos jogos eletrônicos, além de uma parte especifica para os eSports, especial de profissionalização dos campeonatos de games, que vem ganhando cada vez mais espaço no mundo dos negócios. Na trilha de música, que contará com diversas apresentações, entre elas Tagore na abertura do evento, os games voltam como nicho de mercado na criação de trilhas para os jogos.

A programação pode ser conferida no site do festival e nas redes sociais:

recnplay.pe

facebook.com/recnplayfestival/

instagram.com/ recnplayfestival/

Deixe uma resposta