Quixabense é ouro em matemática


Treze medalhas de ouro, 30 de prata e 33 de bronze. Ao saldo recorde somam-se ainda 641 menções honrosas. Os resultados foram conquistados pelos alunos de Pernambuco na 4ª edição da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). A maior parte dos medalhistas estuda em escolas da rede federal, entre elas o Colégio de Aplicação da UFPE e o Colégio Militar do Recife.
João Lucas ficou entre os 50 melhores do país na 4ª Olimpíada Brasileira de Matemática . Foto: Inês Campelo/DP/D.A Press
O destaque do grupo – mais uma vez! – foi o aluno da Escola Estadual Tomé Francisco da Silva, João Lucas Gambarra, de 14 anos. O menino, morador do município de Quixaba, conquistou a 3ª medalha de ouro seguida, dessa vez na categoria destinada aos matriculados na 8ª série. Ele ficou entre os 50 melhores do país, numa competição onde participaram 18 milhões de estudantes brasileiros. O desempenho já lhe rendeu um apelido: “Michael Phelps do Sertão”.

A Obmep foi realizada em duas etapas. A primeira fase foi realizada em agosto e a segunda em novembro. Em reportagem publicada no dia 6 de setembro de 2008, após a primeira fase do campeonato matemático, o Diario já apontava João Lucas como um dos mais cotados ao ouro. “Estou muito feliz. Conquistei a única medalha de ouro da rede estadual e consegui o meu melhor resultado, ficando entre os 50 primeiros. Em 2009 tem mais! Vou estrear no nível 3, categoria dos alunos do ensino médio”, comemorou o adolescente, natural de Princesa Isabel (PB). Desde pequeno ele estuda em Quixaba, cidade a 467 quilômetros do Recife, no Sertão do Pajeú.

Além do resultado do paraibano, a Escola Tomé Francisco também contabilizou uma medalha de prata e sete menções honrosas. “Todos os nossos alunos se envolvem com a Obmep. Por isso, promovemos um cursinho para a competição”, afirmou o diretor Ivan José Nunes. A unidade sertaneja obteve o maior índice de desenvolvimento da educação básica (Ideb) entre as séries iniciais do ensino fundamental do estado, 6,6. O índice é acima da média nacional. No ano passado, todos os alunos de 5ª a 8ª série e do ensino médio da escola participaram da competição.

Pernambuco somou em 2008 seu maior número de premiações entre todas as quatro edições da Obmep. A delegação foi formada por quase 1 milhão de inscritos. Foi registrada uma medalha de ouro a mais no ano passado que o registrado em 2007.

0 pensou em “Quixabense é ouro em matemática

  1. Não vejo avanço algum, essas vitórias são casos isolados de alunos dedicados e talentosos. Vejam o caso do Vinicius da mensagem abaixo: Não sabe usar adequadamente o tempo reflexivo do pronome pessoal “se”. Assassina a lingua escrevendo “já nota-se” quando deveria ter escrito já se nota.

  2. Minha intenção, ao comentar, não é mostrar que domino 100% da língua portuguesa. Mesmo que fosse, estaria sujeito a erros. Se bem que existe a línguagem coloquial, a respeito da qual o nosso amigo Gilberto nunca ouviu falar. No entanto, agradeço pela dica. Vou procurar estudar mais. Sempre que puder manda mais dicas a respeito da língauagem culta, Gilberto. Espero que entenda esta mensagem.

  3. Entendi perfeitamente. Não fiz o reparo para ofender sua pessoa mas para apontar uma deficiência do ensino, que insistem em dizer que está “maravilhoso” quando não está. Quando se fala de linguagem “coloquial”, se está referindo ao colóquio, ou seja, à conversa oral entre duas ou mais pessoas e não à linguagem escrita. Desculpa esfarrapada não vale.

Deixe uma resposta