Polícia liberta reféns em hotel do Mali

refem_resgatadoJornal do Brasil

Forças de segurança especiais francesas retomaram neste sábado (20) o Hotel Radisson, em Bamako, capital do Mali, que havia sido pela manhã por homens armados que mantinham 125 clientes e 13 funcionários reféns. Dentro do edifício, já não havia mais reféns, mas foram encontrados 27 mortos.

De acordo com informações do ministro da Segurança maliano, coronel Salif Traoré, as forças especiais enviadas de Ouagadougou, no vizinho Burkina Faso, estão no interior do hotel e participam nas operações ao lado dos malianos. Traoré também informou que o grupo armado já não mantinha mais reféns. As forças de segurança do Mali haviam cercado o local após o ataque, do qual participaram “dois ou três homens”, segundo um porta-voz.

Os grupos terroristas Al Qaeda, no Magrebe Islâmico, e Al-Mourabitoun assumiram a autoria do “ataque conjunto”. A autoria do ataque foi informada por telefone à agência de notícias privada da Mauritânia, Al Ajbar, que mantém contato com grupos jihadistas da região do Sahel. Esta é a primeira vez que as duas organizações jihadistas declaram ter operações conjuntas.

O Al Murabitun, liderado pelo argelino Mokhtar Belmokhtar, é um dos grupos mais ativos na região do Sahel. Fontes da segurança disseram que os homens armados são ‘jihadistas’ que chegaram ao hotel por volta das 7h, hora local, em um carro com placa diplomática, entraram e começaram a disparar armas automáticas.

Deixe uma resposta