Parceria garante treinamento de extensionistas rurais

O Instituto Agronômico de Pernambuco – IPA conclui, hoje, a 1a Formação de extensionistas, parceiros e bolsistas, dentro do Projeto Produção Agrícola de Vegetais e Consumo Sustentável: Uma Contribuição para a Segurança Alimentar e Nutricional e o Orçamento Doméstico em Povoados do Interior. A qualificação, iniciada ontem, é resultado de uma parceria com a Universidade Federal Rural de Pernambuco e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Vinte e cinco pessoas participam do treinamento, entre elas, extensionistas rurais, bolsistas e parceiros.

A abertura do evento será realizada na sala de seminários do Centro de Graduação Obra-Escola Cegoe/UFRPE, a partir das 9 horas, com a palestra da socióloga da Universidade Federal de Alagoas, Ivanilde Gusmão, sobre o Consumo na História das Sociedades. À tarde, as atividades serão realizadas a partir das 14 horas no auditório do Departamento de Ciências Domésticas da universidade, com a apresentação do projeto pela coordenadora e técnica do IPA, Silvana Lemos. Em seguida, o extensionista rural do IPA, Djair Alves, falará sobre a Produção de Fruteira para o Consumo Familiar.

Como parte da programação, hoje pela manhã, a socióloga e professora do Departamento de Ciências Domésticas da UFRPE, Laura Duque, aborda o tema “Desenvolvimento em Diferentes Momentos Conceituais da Agricultura Familiar”.

À tarde, a economista Fátima Massena fala sobre “Perspectivas da Agroecologia” (economia solidária e consumo) e a economista doméstica Zênia Tavares destaca o “Gênero e o Consumo Sustentável”.

Programa – O IPA vem atuando em projetos produtivos junto a agricultores familiares nos municípios de Pesqueira (indígenas), Camocim de São Félix, Tabira, Tuparetama, Vitória de Santo Antão, Arcoverde, Caetés, Garanhuns (quilombolas), Inajá e Manari. De acordo com a coordenadora do projeto do instituto, Silvana Lemos, percebe-se que os produtores familiares pouo refletem sobre o seu papel como consumidor, visualizando sua participação apenas produtiva. “É importante que essa parcela da população passe a visualizar, também, a importância da produção para o consumo familiar”, ressaltou.

Fonte: Site fisepe

Deixe uma resposta