Pacientes podem recorrer à Defensoria Pública para uso da pílula do câncer

pilulaUma Coordenadoria de Apoio às Pessoas Portadoras de Neoplasia Maligna (câncer) foi criada na Defensoria Pública de Pernambuco para atender os pacientes que desejam iniciar o tratamento com a pílula do câncer. Para conseguir a liberação da substância fosfoetanolamina é necessário entrar com ação na Justiça, já que as pesquisas feitas pela Universidade de São Paulo (USP) ainda não foram concluídas e o uso do medicamento foi suspenso pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A Coordenadoria foi apresentada na tarde desta terça-feira, na sede da Defensoria, informa o Diário de Pernambuco.

Para entrar com a ação é preciso ligar para o número 3182.3700 e agendar um horário. Uma equipe de 14 pessoas vai atender de segunda a sexta-feira, das 8h ao meio-dia e das 13 às 17 horas. Para dar entrada na liminar é necessário levar CPF, indentidade, comprovante de residência, uma foto que demonstre o estado físico do paciente e a receita médica que indique o tratamento com fosfoetanolamina. A pílula será distribuída por seis meses e o paciente recebe o medicameno em casa. A previsão é que sejam atendidas 20 pessoas diariamente.

Ao todo são quatro defensores públicos, seis assessores e quatro técnicos no processamento eletrônico que coletam os dados na página da Denfesoria na internet. O atendimento será feito em toda Região Metropolitana do Recife (RMR) na sede do órgão, na rua Marquês do Amorim, número 127, no bairro da Boa Vista. Para os locais fora da RMR, os postos de atendimento serão nos Núcleos de Defensoria Pública do Interior que podem ser consutadas no site da Defensoria.

“Aqueles pacientes que estiverem muito debilitados e impossibilitados de comparecerem podem encaminhar um parente para dar entrada. O importante é garantir o direito à saúde, independentemente da condição social, já que um paciente com câncer se encontra em vulnerabilidade social”, explica o Defensor Público Geral, Manoel Jerônimo.

Deixe uma resposta