Obras da transposição seguem em ritmo acelerado


As obras de transposição do Rio São Francisco estão em ritmo acelerado no Interior pernambucano. Os soldados do Eército não páam de trabalhar. Além deles, muitos moradores das áreas envolvidas também garantiram emprego com o projeto que promete levar água à região.

Um gigantesco canteiro de obras na imsensidão da terra seca. Só mesmo do alto é possível calcular a dimensão da obra às margens do Rio São Francisco, em Cabrobó, no Sertão de Pernambuco. Centenas de caminhões e máquinas pesadas transformam a Caatinga, na maior obra hídrica do país em andamento, que vai levar a água do rio mais importante da região a quatro estados nordestinos a um um custo de R$ 4,5 bilhões.

Toda a movimentação, entretanto, é a apenas o começo, ou seja, a parte inicial dos 800 quilômetros de canais que cortarão o Semi-árido. O projeto de transposição contará com dois eixos por onde passarão os canais. O eixo Norte terá 516 quilômetros de extensão. A captação será próximo à cidade de Cabrobó e vai percorrer o Sertão também da Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte.

Já o eixo Leste, com 587 quilômetros de extensão, vai captar água na barragem de Itaparica, no município de Floresta, e seguirá até o Rio Paraíba. Um canal de 70 quilômetros levará água também à bacia do Rio Ipojuca, no Agreste de Pernambuco.

ESTRUTURA
Os canais têm 25 metros de largura por seis metros de profundidade e, com as margens, são 200 metros de um lado ao outro. Em alguns trechos, o vai e vem das máquinas é tão intenso que lembra o trânsito das cidades.

Três batalhões do Exército deram início aos trabalhos que agora serão acelerados com a chegada das empreiteiras. Atualmente, 1.200 homens tocam o projeto, mas esse número deve triplicar até julho do próximo ano.

Em sete meses, o motorista Marcelo Fontes conseguiu um emprego e até uma promoção. “Está representando muita coisa para a cidade, muita gente sendo empregada e muito bom para a gente”, avalia.

A primeira etapa do projeto deve ser concluída no final de 2009, com a barragem de Tucutu. Ao todo, serão 26 barragens nos dois canais. No meio do caminho, passa a BR-427, que leva a Petrolina e será elevada para que os dutos passem por baixo. Até o momento, pelo menos 60% dos trabalhadores da obra vêm de Cabrobó e região.

Sem despesas pendentes, a polêmica obra da transposição do Rio São Francisco vai preparando o terreno para levar a água do rio bem longe.

do pe360graus.com

0 pensou em “Obras da transposição seguem em ritmo acelerado

  1. Água para quem tem sede, essa transposição já deveria esta pronta a tempo, você pence o quanto de água que o velho rio chico já colocou no mar… e só vamos transporta uma pequena quantidade.
    Gostaria de saber se as águas do rio São Francisco vai passar no município de tabira no rio Pajeu.

Deixe uma resposta