Gilberto Carvalho responde a Clécio ferreira

“Senhor Clécio Ferreira:

Certamente o senhor tem meios de saber que não tenho o hábito do anonimato e já dei provas disso inúmeras vezes. Então, resvala para a impertinência essa sua mania de atribuir essas atitudes à minha pessoa. Da mesma forma, não faz sentido esse mau costume, que não é só seu, parece ser tradição regional, de fazer avaliações desabonadoras do caráter alheio. De todo modo, como a minha resposta às suas perguntas e acusações deselegantes podem servir de esclarecimento para mais alguém, vamos ao que interessa:

1º) Em primeiro lugar, não é eleitor tabirense – É fato, realmente não sou e possivelmente nunca o serei, entretanto, isto não me retira as prerrogativas de cidadão brasileiro e contribuinte. Tabira não é um território à parte do território brasileiro, é parte integrante, um município, e todo o dinheiro que o governo municipal de Tabira recebe provém de impostos, taxas, contribuições e assemelhados que são pagos por TODOS os cidadãos brasileiros, direta ou indiretamente, inclusive por aqueles que o senhor chama de sulistas preconceituosos. Assim, e também por isso, e por razões outras que tratarei adiante, me acho no direito de oferecer minha opinião sobre as coisas de Tabira, de Afogados da Ingazeira e até de Cacha Pregos, distrito do município de Santa Cruz, localizado no litoral sul da Bahia.

2) não conhece nossa realidade, acha que conhece através de “ouvi dizer” ou “me disseram” – Conheço, e conheço bem, inclusive de ouvir dizer e de me dizerem. Não se esqueça que estamos no século XXI e dos poderes da comunicação eletrônica. Não esqueça também que nasci e vivi na região por quase 20 anos e a visito regularmente a 35, portanto, são 55 anos a serem completados em 14 de setembro próximo. Some-se a isso o fato de também conhecer, ter vivido, e viver outras realidades, pois me dá capacidade comparativa e juizo de valor.

3) e está antes de tudo contaminado com a “ranzinzês” que ainda afeta uma pequena parte da mente de alguns sulistas preconceituosos. Isso não é invenção minha, é fato inclusive atestado por várias pessoas que você costuma afrontar gratuitamente. Isso sim, se não for um comportamento “feudal” seria o que? – Nem merece resposta, é apenas a constatação do já citado mau costume.

4) A não ser que você esteja finalmente enxergando mais, em qual parte da nota se falou em “chapa única”? – Nesta, copiada e colada do Portal Tabira, veja se reconhece: De acordo com os dirigentes da sigla os grupos liderados pelo PTB – Josete Amaral, PSB – Dinca Brandino e 3ª via – PR, PV, PC DO B, PDT e PMN devem retirar todos os nomes colocados até o momento e marcar um grande encontro de todos os grupos para decidirem sobre dois nomes totalmente novos que unam todas as forças políticas. Está será a proposta que os verdes levarão para a reunião do próximo sábado, dia 19. – Do meu ponto de vista, que sempre enxerguei do mesmo tanto, apesar de sua insinuação boba e preconceituosa mas que insiste em repetir, o que coloquei em negrito e sublinhei diz exatamente isso, um candidato a prefeito e um a vice, ou não? Serão então duas chapas? Dá na mesma, pois se as duas chapas forem do consenso de todos os partidos, é o mesmo prato-feito, somente que com mais mistura.

4) – “O voto do eleitor tabirense deixou de ser eletivo para ser homologatório”
Ohhh… Desde quando isso aconteceu? Avisem-me, por favor! – Qualquer dicionário escolar define eleição como o ato de escolher, e não há escolha se não houverem ao menos dois objetos para serem escolhidos.

5) – “TODO PODER EMANA DO POVO E EM SEU NOME SERÁ EXERCIDO”
Nossa como você sabe das coisas! Onde você viu isso? – Exato, realmente sou uma pessoa que sabe das coisas, evidente que não sei de tudo, mas sei de muitas coisas e continuo a aprender. Isto pode ser visto por todos, inclusive por você, que gosta tanto de citar a Constituição Federal, pois então a consulte! Está logo no inicio, onde se trata Dos Princípios Fundamentais, Art. 1º, parágrafo único.

6) Por fim, gostaria de alertar para os princípios fundamentais em que a Carta Magna se baseia, veja bem, a CF é baseada nos princípios fundamentais, são eles que lhe dão fundamento, e não o contrário, pois bem dentre estes merecem atenção para o assunto que aqui se trata os que aponto com notas ou destaques:

Dos Princípios Fundamentais

Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios (inclusive Tabira) e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:

I – a soberania;
II – a cidadania;
III – a dignidade da pessoa humana;
IV – os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;
V – o pluralismo político. (atenta contra quem quer colocar todos os partidos políticos num saco de gatos e fazer eleição com chapa única)

Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição. (O poder emana do povo TODO, e os representantes do povo têm que ser eleitos e não há eleição de um só concorrente, contraria o pluralismo politico e o conceito de eleição, o que vale dizer, o poder emana do povo e não do dirigente partidário)

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, (Ao que parece quem milita nos partidos políticos tabirenses, notadamente os VERDES, se acham MAIS iguais que o restante da população, se acham no direito de através de um conchavo escuso apontar dentre eles O ESCOLHIDO para o Executivo Municipal, restando aos MENOS iguais apenas referendar)

Art. 17. É livre a criação, fusão, incorporação e extinção de partidos políticos, resguardados a soberania nacional, o regime democrático, o pluripartidarismo, os direitos fundamentais da pessoa humana e observados os seguintes preceitos: (O partido político não é o senhor da razão, está sujeito ao comando da legalidade, não pode afrontar o conceito de democracia, não pode se juntar a outros em um pluripartidarismo somente de fachada, onde os dirigentes partidários negociem seus interesses e levem ao eleitorado, aos cidadãos, um prato feito de mau gosto).

Finalmente, Senhor Clécio, o fato de eu ser advogado não deve ser levado em conta, não estou aqui agindo profissionalmente, estou argumentando como cidadão que sou, e como não sou eleitor tabirense, e se fosse não lhe daria o meu voto, e como sei que o senhor não tem apreço e nem respeito pela minha pessoa, recolha de volta o seu “forte abraço”. “

Deixe uma resposta