Estado culpa falta de dinheiro federal por atraso em barragens

Barragem de Serro Azul deve ter obras retomadas com dinheiro estadual

Barragem de Serro Azul deve ter obras retomadas com dinheiro estadual

Duas horas após ser procurada pelo JC, na última quinta-feira, para explicar o atraso e paralisação nas obras das barragens da Mata Sul, a Secretaria de Desenvolvimento do Estado, responsável pela área de recursos hídricos, anunciou a retomada das intervenções em Serro Azul. Serão investidos mais R$ 90 milhões de recursos estaduais, dinheiro que é apontado como o necessário para concluir a represa. Ela deve ficar pronta em junho de 2016.

“Estamos aguardando repasses da União. O Estado já investiu mais do que devia e estamos aguardando recursos”, explicou Almir Cirilo, secretário de Recursos Hídricos. Ele diz que o governo federal garantiu R$ 200 milhões, mas o investimento total, com obras complementares e desapropriações, ficará em R$ 500 milhões.

O Ministério da Integração teria aplicado mais R$ 50 milhões nos outros quatro reservatórios. De acordo com o secretário, foi a falta de dinheiro federal que resultou na paralisação de Gatos e Panelas.

Segundo Cirilo, a construção de Serro Azul não chegou a ser interrompida. “Nós tivemos uma redução grande do ritmo nesses primemiros meses do ano por conta de um ajuste financeiro, para saber quanto recurso a gente teria”, afirmou em um primeiro momento.

Depois de ser questionado sobre o fato de não haver operários ou seguranças no local, o secretário disse que durante o mês de abril o Estado estava negociando o andamento das obras com a empresa responsável e que o canteiro de obras foi mantido.

A promessa do governo estadual é que a “movimentação” na barragem seja intensificada a partir desta semana. A retomada das obras pode ser afetada pelo período chuvoso, que vai do final de maio até o mês de agosto. Nesse período, a chuva impediria os trabalhos no muro de barro.

O Ministério da Integração disse não ter conseguido precisar quanto seria o investimento federal nas cinco obras e que parcela desse dinheiro já havia sido desembolsada até a última quinta.

Deixe uma resposta