Enquanto usina é submetida a ação do tempo, governo municipal de Tabira paga mais de R$ 10 mil para comprar asfalto

Lá atrás, quando ainda era vereador, Marcos Crente já profetizava: “a usina de asfalto vai virar um elefante branco”. Ele só não imaginava que este fato viraria realidade no governo em que ele estaria como vice-prefeito.

Na sessão da Câmara desta segunda-feira, a vereadora Socorro Veras (PT) cobrou explicações por parte do governo da prefeita Nicinha Melo sobre um empenho no valor de R$ 10.195,34 pago à empresa Repav Asfaltos Ltda para aquisição de asfalto.

No histórico do empenho 46/000 de 3 de janeiro de 2022, oriundo da secretaria de Obras e Urbanismo, diz que o material é para atender as necessidades de recuperação do calçamento de diversas ruas do município em operação tapa buracos.

O ponto contraditório da questão é que a secretaria de Obras conta com uma usina de asfalto que foi adquirida com recursos próprios e está parada sem atender as demandas da população que anseia para ver a sua rua asfaltada.

“Por que a usina de asfalto não está sendo utilizada?” perguntou a vereadora Socorro Veras. Após o questionamento da parlamentar, o presidente da Câmara, Djalma da almofadas, disse que esteve no canteiro onde a usina está instalada e comprovou que a mesma está abandonada, suja, e sob ação do tempo, da chuva e do sol.

Deixe uma resposta