Diabetes aumenta as chances de problemas cardíacos

Cerca de 13 milhões de pessoas no Brasil atualmente têm Diabete 

A relação do Diabetes com o coração está cada vez mais evidente. As pessoas com diabetes são 50% mais propensas a sofrer de doenças cardíacas, acidente vascular cerebral e formação de aneurisma. O Diabetes também agrava casos de pressão alta e colesterol alto, além de ser um dos maiores fatores de risco para um infarto, aumentando em 40% as chances nos homens e 50 % em mulheres.

Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), cerca de 13 milhões de pessoas no Brasil atualmente têm Diabetes. “Por ser uma doença silenciosa, os sintomas da doença, normalmente, se manifestam numa fase mais tardia. Por isso,  convivemos com a glicose mais alta sem sentir nada. Dentro desse contexto, que é diabético tem que aumentar sua frequência às consultas cardiológicas para controlar a doença e suas consequências”, explica a cardiologista, Dra.  Tieta Albanez

O retorno precoce ao cardiologista tem como objetivo controlar o nível de glicose no sangue e fazer os ajustes com medicações, dietas, além de exercícios físicos. Tendo os ajustes, ou seja, o controle adequado, os riscos diminuem em relação as complicações do Diabetes, tornando semelhante ao da população em geral.

ENTENDA – O Diabetes Mellitus é uma doença caracterizada pela elevação da glicose no sangue (hiperglicemia). Pode ocorrer devido a defeitos na secreção ou na ação do hormônio insulina, que é produzido no pâncreas, pelas chamadas células beta.

O DM pode ser causado por dois mecanismos principais: deficiência na produção ou ação da insulina, sendo classificado em dois grupos principais de acordo com a causa, o tipo 1 e o tipo 2, respectivamente.

As razões para a aterosclerose acelerada manifestada em pacientes diabéticos ainda não são completamente compreendidas, tendo sido efeitos toxina diretos da glicose sobre a vasculatura, a resistência à insulina e a associação do diabetes com outros fatores de risco, como hipertensão, obesidade, síndrome metabólica.

Deixe uma resposta