Deputado diz que morte de Eduardo causou comoção nacional

moraes“Uma comoção nacional. Principalmente, aqui no Estado de Pernambuco. Primeiro, porque era uma liderança jovem. Um grande ex-governador que conseguiu levantar a autoestima do povo pernambucano com um processo de industrialização, geração de emprego e renda”, foi como definiu o deputado estadual Antônio Moraes (PSDB), durante entrevista ao programa “Panorama Político”, apresentado neste sábado (16), na Rádio Cidade FM.

Moraes disse que dificilmente Eduardo ganharia a eleição para presidente da República neste ano, mas era uma forte opção para 2018. “Para esta eleição era muito difícil sua vitória, porém ele [Eduardo] chegaria muito forte para 2018. Era a opção para renovar a política brasileira. Então, perde a política porque tem uma necessidade muito grande de renovação e perde Pernambuco uma liderança em ascensão em todo país”, afirmou.

O deputado disse que Eduardo era uma pessoa muito dedicada aos filhos e a esposa. Ainda, segundo ele, Renata Campos é uma grande companheira, pois ajudou o ex-governador em todas as campanhas dele, tanto no Estado como essa Nacional. “A gente lamenta profundamente. Eu tive a oportunidade de conviver com Eduardo e com a sua família. Um pai presente. Muito carinhoso com os filhos e que sem dúvida nenhuma estão passando por um momento muito difícil. É preciso independente de questões políticas todo mundo rezar e pedi conforto para os familiares”.

Antônio conta que teve uma grande relação com Campos. “Nós tivemos uma grande relação no início. Depois quando eu deixei da Secretaria de Segurança Pública no governo de Arraes, de uma forma que, naquele momento, eu não concordava da maneira como foi colocada, a gente se distanciou”.

Questionado como era ser oposição a Eduardo, o deputado estadual, que foi líder da oposição na Assembleia Legislativa, definiu o ex-governador como um “rolo compressor”. “Na verdade Eduardo era um rolo compressor. Quem estivesse contra ele sem dúvida nenhuma passava um momento de dificuldade muito grande. Tanto é que eu tive durante três eleições uma votação superior a 50 mil votos. E nessa última eleição quando fiz oposição a ele, eu perdi praticamente 20 mil votos. Houve uma perseguição muito grande em cima das minhas bases politicas”. Acrescentando que o ex-governador “era um político que fazia política 24 horas. Quem era amigo era amigo, quem estava na oposição era pau. Mas, alguns meses a gente teve uma reaproximação e eu estava vivendo um momento muito bom com ele”.

Acerca da notícia da morte do ex-Chefe do Poder Executivo Estadual, Moraes afirmou que ninguém acreditava e que as notícias eram desencontradas. “O Recife parou. Ninguém acreditava que você verdade. Algumas notícias diziam que ele estava no avião, outras achavam que não era o avião em que o ex-governador se encontrava”.

Quando houve a confirmação e divulgação dos nomes dos passageiros, o deputado estadual disse que era muita gente chorando. “Eu ia saindo da ALEPE, às 12h, quando dois vereadores de Itamaracá, que votam comigo, me informaram. A primeira coisa que eu pensei era que fosse aquelas noticias de internet. Agora você mata todo mundo na internet. Hoje, colocam matérias irresponsáveis. Liguei para Brasília e lá me confirmaram. A partir daí era muita gente chorando, inclusive, na Assembleia. É uma coisa difícil de descrever”.

Sobre o futuro da Frente Popular de Pernambuco sem a sua principal liderança, Antônio Moraes falou que vai ter que surgir novas lideranças políticas. “Se abre agora oportunidade para Daniel Coelho e outras lideranças jovens de nosso Estado. É preciso renovar. Não é fácil formar novas lideranças”.

Perguntado se a exploração da imagem do ex-governador poderia trazer ganhos para os candidatos que disputam o Palácio dos Campos das Princesas, o deputado foi taxativo em dizer que não. “Essa exploração da comoção não traz nenhum beneficio pra nenhum dos candidatos que queiram usar a imagem do ex-governador. Isso são coisas que só serão confirmadas no decorrer do guia eleitoral”.

Ao final, Antônio Moraes falou que iria acompanhar o velório e o sepultamento do ex-governador Eduardo Campos, marcado para este domingo (17). “Vou logo cedo assistir a Missa e acompanhar o enterro deste homem que fez muito por Pernambuco”.

1 pensou em “Deputado diz que morte de Eduardo causou comoção nacional

Deixe uma resposta