Crise do Inep ameaça afetar repasses e coloca em risco segurança do Enem

Um dos principais riscos está relacionado a um trauma da comunidade estudantil: o do vazamento de provas, já que um dos setores mais afetados pela debandada é o responsável por acompanhar e apurar os imprevistos.

A realização do Enem é só a mais imediata das preocupações de referências da Educação diante da debandada de quase 40 servidores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). A crise põe em risco a cadeia de inteligência capaz de gerar dados para determinar repasse de recursos a Estados e municípios não só para a sala de aula, mas também em operações. “Uma desestruturação como essa afeta o censo escolar, que verifica desde número de alunos até a evasão. Há impacto econômico, a distribuição do Fundeb é baseada nisso, por exemplo, os valores de transporte e fornecimento de merenda”, afirma Rossieli Soares, secretário da Educação de São Paulo.

PERIGO
Em relação ao Enem, um dos principais riscos está relacionado a um trauma da comunidade estudantil: o do vazamento de provas, já que um dos setores mais afetados pela debandada é o das Equipes de Incidentes e Resposta (Etir), responsável por acompanhar e apurar os imprevistos.

PERIGO 2
“O que está em risco é a credibilidade do Inep, responsável por muitas coisas,  não só o Enem”, diz Lucas Hoogerbrugge, da organização Todos pela Educação.

SECOU
Vinculado ao PT, o Instituto Nordeste Cidadania (Inec) perderá a gestão na área urbana do Crediamigo, o bilionário programa de microcrédito do BNB. O presidente do banco, Anderson Possa, informou a Jair Bolsonaro que o contrato para administrar o Crediamigo na área rural será cortado tão logo termine a licitação em curso para a urbana.

VIÉS…
Mesmo muitíssimo longe de ter feito um discurso de pré-candidato histórico, como o de Mario Covas no Senado, em 28 de junho de 1989, Sérgio Moro deu seu recado e disse a que veio: tirar votos de Bolsonaro, infernizar os petistas e diminuir espaços ao centro.

…DE ALTA
Quem entende do riscado avalia que o ex-juiz baterá dois dígitos de intenção de voto nas pesquisas em breve, apenas no embalo do lançamento da pré-candidatura. Segundo a recente pesquisa Quaest, 13% dos eleitores acham a corrupção o principal problema do País. Moro está empatado tecnicamente com Ciro Gomes (PDT): 8% e 6%.

LIÇÃO
Em 1989, Covas falou que o País precisava de um “choque de capitalismo, de livre iniciativa”. Moro fez acenos nesse sentido, mas não conseguiu ser tão claro nem tão contundente (sobre nada).

AO SOM DA LIRA
O Brasil pegando fogo e o primeiro item da pauta do Supremo ontem, 10, buscava definir se cônjuge de servidor do Itamaraty tem direito a exercício provisório.

APOSTA
“É mais fácil um brasileiro circular em Marte do que Geraldo Alckmin ser o vice de Lula”, diz o deputado estadual Campos Machado (Avante-SP), histórico aliado do ex-governador do Estado. Alckmin, no entanto, mantém silêncio absoluto sobre o assunto. O mistério permanece.

PRONTO, FALEI!
Flávio Dino Governador do Maranhão (PSB) “Duas coisas que são incompatíveis: dinheiro público e orçamento secreto. A transparência administrativa previne e reprime tanto a corrupção quanto a ineficiência.”

Fonte: JC

Deixe uma resposta