Com novas flexibilizações em Pernambuco, confira o que muda nas escolas a partir desta terça

Escolas poderão funcionar plenamente, sem necessidade de rodízio, a partir das novas regras

Educação em todo o mundo foi afetada pela covid-19. Escolas ficaram bastante tempo com
aulas presenciais suspensas

As escolas de ensino básico em Pernambuco terão menos restrições de funcionamento a partir desta terça-feira (16). A educação é uma das primeiras áreas com regras mais brandas de convivência com a covid-19 no Estado. O anúncio foi feito na última quinta-feira (11) pelo secretário estadual de educação, Marcelo Barros, durante uma coletiva de imprensa do Governo de Pernambuco.
Na ocasião, o chefe da pasta comunicou que não haverá mais distanciamento de um metro entre os alunos, nem aferição de temperatura na entrada das unidades de ensino. Essa decisão impactará diretamente no funcionamento das escolas em Pernambuco. Com as novas regras de convívio, as unidades não precisarão fazer rodízio nas salas de aula. A medida, como um todo, impacta 2,6 milhões de alunos – que vão da educação infantil ao ensino médio -, e 120 mil professores das redes pública e privada.
“Hoje praticamente 100% dos profissionais de educação de Pernambuco já receberam a segunda dose da vacina. E o ritmo de vacinação dos jovens de 12 a 17 anos está aumentando. Cerca de 60% dos adolescentes nessas idades tomaram a primeira dose e até o final de novembro nossa expectativa é que toda essa população esteja vacinada”, explicou o secretário de educação, Marcelo Barros, durante a coletiva de imprensa.

Ele ainda enfatizou os novos protocolos de afastamento em caso de diagnóstico para a covid-19, que também reduzirá: “O uso de máscaras e a higienização das mãos seguem sendo de extrema importância. Além disso, no caso do estudante ou profissional da área apresentar qualquer sintoma, ele deve se manter isolado por 10 dias”.
Por outro lado, as aulas remotas continuarão funcionando, de acordo com Marcelo Barros. “Além disso, manteremos o programa ‘Conecta aí’, para patrocinar dados de internet dos estudantes da rede pública estadual para que todos possam acessar gratuitamente o material na plataforma, no ambiente virtual de aprendizagem e no Google Classroom”, contou. Sindicato se posiciona contra Com o anúncio das novas medidas, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) se posicionou de forma contrária às decisões da Secretaria de Educação. O Sintepe afirma que “o que torna o fato mais lamentável, sem o conhecimento e o debate com a representação sindical dos/as trabalhadores/as em educação, o Sintepe”.

“As escolas são espaços de grande aglomeração, por longa permanência e com multiplicidade de pessoas. Não é possível garantir, ainda, segurança sanitária suficiente para liberar geral os protocolos enquanto a vacinação não atingiu, de forma segura com duas doses, a grande maioria da população”, disse a nota do sindicato.
Pacote de medidas A educação foi uma das áreas mais impactadas pelas novas regras de convivência com a covid-19 em Pernambuco. Após atingir um percentual de 68,17% de vacinados com as duas doses, o Estado está com medidas mais brandas para os setores econômicos. Entre mudanças estão a ampliação de torcida nos estádios, o fim do distanciamento entre bancas escolares e da obrigatoriedade da aferição de temperatura nas entradas dos estabelecimentos.

Fonte: JC

Deixe uma resposta