Com apoio do PT, PSB oficializa pré-candidatura de Danilo Cabral ao governo de Pernambuco

O PSB oficializou, nesta segunda-feira (21), o nome do deputado federal Danilo Cabral como pré-candidato ao governo de Pernambuco nas Eleições 2022. O anúncio ocorreu em uma solenidade realizada no Recife Praia Hotel, no bairro de Boa Viagem, na Zona Sul da capital pernambucana.

No terceiro mandato como deputado federal, Danilo Cabral é advogado, tem 54 anos e também já foi vereador do Recife. No dia 11 de fevereiro, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, havia confirmado, no Twitter, que Cabral seria o pré-candidato, mas apagou a postagem e, depois, republicou a mensagem.

Mesmo com a publicação do presidente nacional do partido, o diretório estadual, presidido pelo atual secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco, Sileno Guedes, adiou até esta segunda-feira (21) o anúncio oficial da pré-candidatura de Danilo Cabral.

Natural do município de Surubim, no Agreste de Pernambuco, Danilo Cabral se licenciou do mandato de deputado federal, entre os anos de 2012 e 2014, para exercer o cargo de secretário das Cidades na gestão do ex-governador Eduardo Campos (PSB).

Em 2015, ele licenciou-se novamente para ser secretário de Planejamento e Gestão, na gestão de Paulo Câmara (PSB). Reassumiu o cargo de deputado federal em maio de 2016, numa mobilização nacional do PSB para votar a favor do impeachment de Dilma Rousseff, aprovado na Câmara com 367 votos.

Se eleito, Danilo Cabral dará continuidade a uma sequência de 16 anos do PSB no comando do governo. Ele é o segundo pré-candidato ao governo de Pernambuco já anunciado oficialmente. No dia 22 de janeiro, o advogado João Arnaldo foi oficializado como candidato ao Executivo pelo PSOL.

Em seu discurso, Danilo Cabral criticou a privatização de estatais, como da Eletrobrás e da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), e fez críticas a Jair Bolsonaro (PL), a quem chamou de “pior presidente da história”.

“Nós vivemos hoje a mais dura crise da história republicana, um conjunto de crises que se abateu sobre o mundo, de forma mais perversa sobre o Brasil. Uma crise sanitária que já levou mais de 60 mil vidas”, afirmou.

Ao falar sobre a aliança nacional do PSB com o PT (entenda mais abaixo), Danilo Cabral disse que Pernambuco “sente saudade” de Lula e criticou o tratamento dado ao Nordeste por Jair Bolsonaro e pelo ex-presidente Michel Temer (MDB), que assumiu a presidência após o impeachment de Dilma Rousseff, apoiado por Danilo Cabral e pelo PSB.

“Pernambuco perdeu muito fruto da perseguição, da discriminação, do ódio que resultou da relação do governo federal com o Nordeste e com Pernambuco. Foi assim no governo Temer, foi assim no governo Bolsonaro. Nós precisamos de um reencontro com a esperança do povo de Pernambuco”, declarou.

O governador Paulo Câmara afirmou que o projeto político do PSB, em união com o PT e demais partidos da Frente Popular, é “diferente do que a gente vê por aí”, sem interesses e ambições pessoais.

“O que nos reuniu e que continua nos reunindo não foi conveniência, mas a consciência de que Pernambuco precisava continuar a andar para frente. A Frente Popular de Pernambuco está novamente reunida. Quero dizer a todos os partidos aliados o meu muito obrigado por estar aqui hoje e por terem me legitimado a conduzir esse processo”, declarou.

Sobre a candidatura de Danilo Cabral, Paulo Câmara citou o gesto do senador Humberto Costa de abdicar da candidatura pelo PT para que o partido integrasse a Frente Popular. 

“Danilo tem experiência no Parlamento e no Executivo, mas tem, sobretudo, além da capacidade já testada e aprovada, a sensibilidade social, os princípios que a Frente Popular sempre defendeu. E nós precisamos muito dessa união de virtudes que faz a união de pessoas”, afirmou.

Paulo Câmara também afirmou que, apesar de se tratar de uma candidatura estadual, é preciso olhar para o cenário nacional, citando, novamente, a aliança com o PT em prol da candidatura de Lula.

“O presidente Lula é uma referência mundial. É reconhecido em todos os lugares como política nacional. Diferente do que está aí. Ele orgulha o Brasil. É um símbolo de diálogo e respeito e combate às injustiças que ele mesmo precisou combater quando foi presidente da República”, disse.

Também participaram do evento o deputado federal e pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro Marcelo Freixo (PSB); o senador Humberto Costa (PT); e a vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos (PC do B).

Estiveram presentes, ainda o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, Eriberto Medeiros (PP); o deputado federal, o tabirense Carlos Veras (PT) e a deputada estadual Teresa Leitão (PT); além do prefeito do Recife, João Campos (PSB); e do antecessor dele no cargo, Geraldo Julio (PSB).

Deixe uma resposta