Caso Andréa na imprensa pernambucana

A polícia ainda não conseguiu localizar a estudante Andréa Caetano Alves, de 22 anos, desaparecida desde o último dia 2, logo após um comício na cidade de Tabira, Sertão do Pajeú, a 403 quilômetros do Recife. O delegado responsável pelo caso, Dr. Ubiratan Rocha, esperava ontem conseguir alguma pista, após tomar o depoimento dos pais da jovem, o agricultor Geraldo Caetano Alves, 59, e a dona de casa Maria de Lourdes Alves, 54, moradores do Sítio Oiti, zona rural do município.

Até agora apenas duas colegas da estudante, Selma dos Santos Silva, 17, e Juliana Maria Dantas Pires, 18, que estavam com ela momentos após o seu desaparecimento, foram ouvidas na delegacia da cidade.

O sumiço da estudante tem deixado a família apavorada. Desde que foi morar na casa da irmã, que fica no bairro João Cordeiro, a rotina da jovem era sempre a mesma. Todos os dias ela saía de casa cedinho para o trabalho. Ao largar, ia direto para a Escola Estadual Pedro Pires Ferreira, onde cursava à noite o programa de Educação de Jovem e Adulto (EJA), voltando para casa por volta das 22h. “Não sei o que pode ter acontecido com ela, pois é uma pessoa bastante calma e sem inimigos”, lamentou Maria Aparecida Caetano Alves, 18, irmã de Andréa.

Vários cartazes com fotos da estudante foram espalhados por toda a cidade, principalmente nos prédios públicos. O delegado Ubiratan Rocha admitiu a possibilidade de ouvir alguns dos colegas de escola da estudante, bem como investigar algumas das pessoas que mantiveram contato com Andréa na sua página de relacionamento pela Internet.


Andréa está sumida desde o último comício de Josete.

Fonte: Folha de Pernambuco. Foto:orkut.

0 pensou em “Caso Andréa na imprensa pernambucana

  1. SÓ CORRIGINDO:
    Guando vc diz:
    momentos APÓS do seu desaparecimento.
    acho que é: ANTES do seu desaparecimento.
    não precisa coloca esse comentario!

Deixe uma resposta