Auxílio Emergencial do Carnaval 2022: Artistas e Agremiações vão receber mais de R$ 6 milhões do Governo do Estado

Governador Paulo Câmara sanciona lei que cria auxílio emergencial carnavalesco – Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O governador Paulo Câmara sancionou na tarde desta sexta-feira (18), a lei que cria o Auxílio Emergencial do Ciclo Carnavalesco 2022 que vai destinar mais de R$ 6,3 milhões para artistas, grupos e agremiações dos mais variados gêneros que, mais uma vez, ficaram sem sua principal fonte de renda devido ao cancelamento da folia. A sanção será publicada no Diário Oficial – que também trará o edital de convocação dos beneficiados. Cada um deles receberá o equivalente a 80% do último cachê recebido – com um teto de R$ 30 mil e um piso de R$ 3 mil.

Para ter acesso ao auxílio emergencial, é preciso ter sido contratado em, pelo menos, um dos últimos ciclos carnavalescos – 2018, 2019 ou 2020 – através da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) ou da Empetur. De acordo com o presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto, em 2022, o montante destinado ao programa é o dobro do investido em 2021 e vai beneficiar 750 grupos ou artistas. “Todo montante que havia sido alocado para o Carnaval 2022 na Lei Orçamentária Anual será destinado para o auxílio emergencial”, reforça o presidente, lembrando que, quando a Assembleia Legislativa aprovou o orçamento do Estado, não havia ainda definição de que Pernambuco não teria Carnaval novamente.

O prazo de inscrição para os interessados será de 24 de fevereiro a 15 de março e, de acordo com Canuto, o pagamento será feito em parcela única. “O Auxílio Emergencial do Ciclo Carnavalesco vai atender não só os mais de 750 beneficiados diretamente, mas também milhares de pessoas envolvidas na cadeia da cultura”, reforça o representante da Fundarpe. Durante o evento de sanção da Lei e representando os diversos artistas presentes, o músico Getúlio Cavalcanti ressaltou a importância do pagamento do auxílio para todos envolvidos com o Carnaval. “O Estado sempre soube proteger a sua cultura e dignificar os artistas. A riqueza desse patrimônio é provada em nossos ciclos, principalmente, o Carnaval”.

 O governador Paulo Câmara afirmou que a vacinação contra a Covid-19 tem sido fundamental para que o Estado possa pensar em realizar o Carnaval em 2023. “Com a vacinação cada vez mais presente na vida dos pernambucanos, espero que a gente tenha a oportunidade, um pouco mais na frente, de reestabelecer o nosso calendário com a nossas festas e as nossas expressões e com a participação dos nossos artistas”, concluiu Câmara.

Deixe uma resposta