Aumenta para 12 o número de mortes por H1N1 em Pernambuco

vacina_2_KAC9fGgAumentou para 12 o número de mortes confirmadas por H1N1 em Pernambuco, de acordo com o boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) nesta quinta-feira (19). São dois óbitos a mais que a quantidade registrada no boletim anterior, de 13 de maio. Além das mortes ocorridas no Recife (5), Olinda, Caruaru, Palmares, Jaboatão dos Guararapes e Petrolândia — cada município com um óbito confirmado —, as cidades de São Lourenço da Mata e João Alfredo também registraram, cada uma, uma morte por H1N1.

De acordo com a secretaria, esses 12 óbitos estão inseridos nos 37 casos de morte por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), registrados até o dia 14 de maio. Dos demais óbitos, 13 foram encerrados por SRAG não especificada e 12 continuam em investigação, pois podem ter sido provocados por outros tipos de vírus ou agentes etiológicos, como fungos.

Quanto às notificações, foram 477 suspeitas para casos de SRAG, sendo 39 confirmações para H1N1. Com relação ao boletim anterior, são 78 notificações a mais e  cinco novos casos confirmados. Nesse mesmo período no ano passado, foram feitas 477 casos notificados de SRAG e nenhuma confirmação para H1N1. Ainda em 2015, 19 casos de SRAG resultaram em morte, sem confirmação para o vírus H1N1.

Com relação aos pacientes identificados com Síndrome Gripal (SG), que consiste em casos considerados leves, foram 224 notificações até o dia 14 de maio, das quais 36 foram confirmadas para H1N1. No mesmo período do ano passado, não havia confirmações de casos de SG pelo vírus em questão.

Vacinação – 
Até a tarde desta quinta-feira (19), a SES contabilizou que 1.617.877 pessoas já foram vacinadas contra a influenza, o que representa 77,1% do total do grupo prioritário, formado por 2.095.962 pessoas. Com relação ao balanço anterior, foram 307.261 indivíduos vacinados a mais.  A campanha de vacinação segue até sexta-feira (20) e a expectativa da secretaria é vacinar pelo menos 80% daqueles que compõem o grupo prioritário. De acordo com o boletim divulgado pela pasta, o Ministério da Saúde encaminhou a Pernambuco todas as 2,2 milhões de doses da vacina contra influenza.

O grupo prioritário é composto de crianças entre 6 meses e menores de 5 anos (até 4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores de saúde, idosos (a partir de 60 anos), povos indígenas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional; adolescentes e jovens entre 12 e 21 anos sob medida socioeducativas, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais.

Deixe uma resposta