Após uma semana de buscas, polícia prende suspeito de matar duas jovens em Glória do Goitá

Oito dias após constantes buscas na região de Glória do Goitá, na Zona da Mata de Pernambuco, a Polícia Civil prendeu nesta segunda-feira (7) Edson Cândido Ribeiro, 35 anos, apontado como autor de assassinatos contra duas jovens no município na última semana. A informação inicial é de que ele teria se entregado em Vitória de Santo Antão. Ele foi levado para Caruaru, no Agreste.

A Polícia Civil informou que maiores informações sobre a prisão serão divulgadas em coletiva de imprensa no auditório da sede da Diretoria Integrada do Interior 1 (Dinter 1), em Caruaru, às 15h. Quem dará detalhes sobre o caso são os diretores integrados do interior 1 pela PCPE e PMPE, o delegado Jean Rockfeller e o coronel Paulo César Gonçalves, respectivamente.

As buscas por Edson começaram na segunda-feira passada, 31 de janeiro, em uma operação comandada pelo 21º Batalhão da Polícia Militar de Pernambuco que envolveu mais de 100 policiais e populares de cidades próximas. Nesse domingo (6), um helicóptero da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS-PE) o teria avistado, mas não obteve sucesso em encontrá-lo.

Horas antes, dois sacos de comida supostamente usados pelo suspeito foram encontrados na área rural da cidade. Após moradores entregá-los a policias, cães farejadores da Companhia de Policiamento com Cães (CIPCães) ajudados a utilizados para a localizar o homem.

O clima em Glória do Goitá foi de tensão durante os dias de buscas. Por medo do homem, moradores da zona rural, principalmente mulheres, se deslocaram até o Centro da cidade. “As mães não querem ir trabalhar e deixar as filhas sozinhas em casa. É desesperador. O foco é pegá-lo, que a gente quer que a justiça seja feita, porque a gente não aguenta mais”, disse um morador, ainda no domingo, que não quis se identificar.

Crimes

Edson é apontado pela polícia como o principal suspeito de ter matado Kauany Maiara Marques da Silva, 18 anos, com quem já se relacionou, e Jailma Muniz da Silva, 19 anos. Kauany desapareceu no dia 29, um sábado, e teve o corpo encontrado três dias depois, na terça-feira (1º), na comunidade de Capuchinho, com sinais de violência.

O suspeito já teria se relacionado com Kauanny, a primeira vítima. Segundo um vizinho da jovem, ambos teriam brigado na noite do sábado (29), quando ela desapareceu. “Quando ouvi o grito da Kauany, eu perguntei, ‘ô, camarada, você está dando na mulher, é? Não tem medo da Maria da Penha não?’. Aí ele [respondeu] ‘não, está tudo numa boa. vou conversar com ela lá dentro’, disse Severino Brás.

Na madrugada de segunda-feira (31), ele teria tentado atacar mulheres que caminhavam no Centro da cidade, e na fuga teria encontrado Jailma. A agricultora e estudante foi, então, estuprada e assassinada enquanto levava o café da manhã para a mãe, que estava trabalhando na lavoura. O corpo foi encontrado na Zona Rural do município, às margens da rodovia PE-50, no mesmo dia.

Deixe uma resposta