Após relação divulgada pelo MP, prefeitos negam atrasos ou se comprometem com quitação

Após a divulgação a Secretários de Saúde pelo MP da realidade das cidades de X e XI Geres em atraso com repasses do SAMU, alguns prefeitos e gestores de saúde procuraram o blog para rebater a informação.

Um dos mais preocupados era o prefeito de Tuparetama, Sávio Torres. “Caro Nill, solicitei a retirada do nome da lista de inadimplentes do SAMU. Isso porque quitamos até o mês de outubro e novembro ainda estar em curso”, informou o gestor.

Quando das primeiras informações sobre a lista, o Secretário de Saúde de São José do Egito, Paulo Jucá, informou ter pactuado um Termo de Parcelamento no início de outubro.  Pelo termo, o saldo das cotas de abril a setembro, totalizando o valor de R$ 168.577,20  é quitado em três parcelas, iguais e sucessivas de R$ 56.192,40. As parcelas estão sendo quitadas conforme pactuado até dezembro, segundo a municipalidade.

O Prefeito de Itapetim, Adelmo Moura, afirmou que a prefeitura já havia pactuado o pagamento das parcelas. Ele lembrou que os valores são referentes a um período em que o serviço ainda não estava funcionando na região. “Entendemos a argumentação d que era pra começar e vamos quitar”.

A notícia tem sido explorada politicamente em algumas cidades. Em Tabira, por exemplo, o adversário da prefeita Nicinha Melo Flávio Marques (PT) questionou em suas redes sociais o que é feito com os recursos da saúde para que o município tenha oito meses em atraso. O Cimpajeú sinalizou que deve soltar nota sobre a divulgação dos números.

Alguns prefeitos reclamaram em reservas do novo valor per capita, que saltou de 55 centavos per capita para R$ 2,48 por habitante. Isso ocorre pela demora em pactuação e contrapartidas dos governos do Estado e Federal. O secretário estadual de Defesa Social, Humberto Freire, participou da reunião de forma remota e garantiu que os repasses do Estado serão efetivados.

Fonte: Blog Nill Júnior

Deixe uma resposta