Recado de Lula ao mercado: “Vão ter que me engolir”

Durante o ato de lançamento da caravana no Espírito Santo, na noite desta segunda-feira 4, o ex-presidente Lula alertou o mercado que não adianta “ficar fazendo terrorismo” sobre sua possível vitória em 2018; “Porque ‘ah, se o Lula ganhar o mercado vai ficar preocupado’. Olha, primeiro que eu não vou pedir voto para o mercado. O mercado vai precisar muito mais de mim do que eu dele”, discursou;

 “Porque o mercado sabe que quando eu cheguei na presidência a gente devia R$ 30 bilhões pro FMI. Hoje tem reservas de mais de R$ 250 bilhões e o FMI é que deve dinheiro para nós. Eles sabem que criamos milhares de empregos com carteira assinada. Eles sabem que vão ter que me engolir”, completou.

Lula disse que irá respeitar quem quiser ser candidato, pois “todo mundo tem direito”. “Eu não vou fazer que nem o Aécio, que não respeitou a vitória da Dilma”, lembrou, sobre a eleição presidencial de 2014.

Ele voltou a dizer que quer disputar com um candidato apoiado pela Globo. “Tudo o que eu quero é que eles encontrem um candidato representante do mercado e com o logotipo da Globo na testa. Se puder ter o logotipo da Globo, da Veja, da Istoé, melhor ainda. A gente vai derrotar”.

“Se a Globo quer ter candidato, que tenha coragem de dizer que a Miriam Leitão vai ser ministra da Economia, que o William Waack vai ser ministro da Igualdade Racial”, debochou.

Lula afirmou que não tem problema que ele não tenha apoio do mercado ou da mídia. “Eu tenho apoio do povo brasileiro”, concluiu.  (BR 247)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *