Humberto diz que o SUS vive seu pior momento

Para uma plateia de pesquisadores e profissionais da área da Saúde, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT), fez duras críticas às políticas adotadas para o setor pelo governo de Michel Temer (PMDB). Segundo Humberto, desde que o Sistema Único de Saúde (SUS) foi implantado, é a primeira vez que um ministro da Saúde assume abertamente o papel de atender a interesses corporativos e de instituições privadas em detrimento do próprio sistema e do bem estar da população brasileira. Hoje, quem comanda a pasta é Ricardo Barros (PP).

“Vivemos, sem dúvida, o pior momento da história do SUS. Desde que o sistema foi implantado, em 1988, todos os ministros que passaram pela pasta, até mesmo nos governos de Collor e de Fernando Henrique Cardoso, tinham uma preocupação de melhorar o SUS, de garantir recursos, pensar novos projetos. Mas o atual comandante da pasta age exatamente fazendo o oposto. Ele defende mais os planos de saúde que os pacientes. Administra o SUS, mas é o primeiro a dizer que ele precisa diminuir de tamanho. A quem o ministro está servindo? Porque ao povo é que não é”, questionou o senador.

Duas jovens tabirenses continuam desaparecidas

Continuam desaparecidas, até agora, as duas jovens tabirenses Ana Júlia Silva, de 15 anos e Emilly Queiroz, também de 15 anos, desde a ultima quinta-feira (07). Desesperados pelo desaparecimento das jovens, familiares fazem apelo a população na tentativa de encontra-las.

As famílias pedem que quem souber algum paradeiro das jovens, entrem em contato através dos telefones: (87) 9. 9904-7324 ou (87) 9. 9617-1100

Petrobras recebe mais R$ 654 milhões da Lava-Jato

A Petrobras já recebeu, desde o início da Operação Lava Jato, R$ 1,476 bilhão desviados da companhia no esquema de pagamento de propina desvendado pelo Ministério Público do Paraná e pela Polícia Federal. As informações são da Agência Brasil.

Deste total, cerca de R$ 654 milhões foram devolvido nesta quinta-feira (7) aos cofres da companhia. O dinheiro foi recuperado por meio de acordos de colaboração celebrados com pessoas físicas e jurídicas no âmbito da Operação Lava Jato. A devolução aconteceu durante evento realizado em Curitiba, base central da operação, com a presença do presidente da estatal, Pedro Parente.

Segundo nota divulgada pela Petrobras, a empresa“vem trabalhando em parceria com o Ministério Público Federal, a Polícia Federal, a Receita Federal e demais autoridades desde o início das investigações, ao mesmo tempo em que aprimorou seus mecanismos de controle e tomada de decisões”.

Na avaliação da estatal, a companhia, “que é reconhecida pelas autoridades como vítima dos atos desvendados pela Lava Jato, seguirá adotando medidas jurídicas contra empresas e pessoas, inclusive ex-funcionários e políticos, que causaram danos financeiros e à imagem da companhia”.

A nota conclui afirmando que a Petrobras atua como coautora com o Ministério Público Federal e a União em 13 ações de improbidade administrativa em andamento, além de ser assistente de acusação em 43 ações penais.

Rodrigo Novaes pede redução do percentual da taxa de saneamento no interior

O deputado Rodrigo Novaes (PSD) fez um apelo nesta quarta-feira (6) em sessão plenária para que a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compensa) diminua a sua taxa todo o interior do Estado. Segundo o parlamentar o valor varia de 40% a 100% de acordo com a qualidade de serviço.

“Pela condição em que vive a população do interior, pelas dificuldades naturais, e também pela razão dos problemas sociais que são acentuados nesses locais, é justo que se pague o mínimo possível permitido em lei, os 40%”, sugeriu o vice-líder do governo.

Novaes ressaltou que toda esta questão já conta com a sensibilidade por parte do governador Paulo Câmara e do presidente da Compesa, Roberto Tavares, que já demonstram uma grande compreensão por esta matéria.

Temer recebe Evo Morales para encontro bilateral no Palácio do Planalto

O presidente da Bolívia, Evo Morales, foi recebido nesta terça-feira (5) pelo presidente Michel Temer no Palácio do Planalto. No final da manhã, Evo passou em revista às tropas militares, subiu a rampa do palácio e posou para fotos ao lado de Temer.

O presidente boliviano está em visita oficial ao Brasil. Ele e Temer seguiram para um encontro bilateral ampliado, uma reunião com a presença de ministros e representantes dos governos dos dois países.

Entre os temas que eles vão tratar, estão o comércio entre os dois países e a segurança na fronteira.

Conforme a Secretaria de Comunicação da Presidência, após o encontro está prevista uma cerimônia de assinatura de acordos entre os países no próprio Planalto. No início da tarde, Temer oferece um almoço a Evo no Palácio do Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores.

A visita de Evo ao Brasil teve de ser cancelada duas vezes em razão das cirurgias pelas quais Temer passou recentemente. Em outubro, Temer realizou uma cirurgia na próstata e em novembro passou por uma angioplastia de três artérias coronárias.

Aliado dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, Evo foi um dos principais críticos do impeachment de Dilma entre os líderes de países sul-americanos. O presidente boliviano chamou o processo de “golpe” mais de uma vez. Quando Dilma foi afastada pelo Senado em 2016, por exemplo, Evo escreveu em sua conta no Twitter que o processo de impeachment era um “golpe”.

Datafolha expõe fraqueza do PSDB e governo

Pesquisa Datafolha divulgada no fim de semana mostrou o fortalecimento das candidaturas presidenciais do ex-presidente Lula (PT) e do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC). O levantamento também expôs a fraqueza eleitoral do PSDB e do governo.

Lula lidera em todos os cenários de primeiro e segundo turno. Bolsonaro fica em segundo lugar nas simulações da primeira etapa, numa posição distante dos demais colocados.

No cenário 1 do Datafolha, Lula obteve 34% de intenção de voto. Bolsonaro, 17%. A ex-senadora Marina Silva, da Rede, ficou com 9%. O ex-ministro da Fazenda Ciro Gomes (PDT) e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), marcaram 6% cada um. O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, que está sem partido, registrou 5%. O senador Alvaro Dias (Podemos) teve 3%.

Depois, todos com 1%, vieram o presidente Michel Temer (PMDB), o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), a deputada estadual Manuela D’Ávila (PC do B-RS) e o presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro (PSC). Votos brancos e nulos somaram 12%. Segundo a pesquisa, 2% não souberam responder.

Há uma tese na praça que diz que as pesquisas têm mostrado uma polarização entre esquerda e direita. Por mais que Lula seja de esquerda e Bolsonaro de direita, essas posições políticas não estão dando o tom da atual disputa. Lula e Bolsonaro têm em comum o fato de fazer oposição ao atual governo. Esse é o corte mais importante hoje.

Somadas as intenções de voto de Lula e Bolsonaro, metade dos eleitores rejeita a administração Temer. Outros candidatos com menor intenção de voto ampliariam bastante esse percentual de oposição ao governo.

Isso significa que a possibilidade de vitória de alguém do campo governista, qualquer que seja esse candidato, será difícil levando em conta o cenário de hoje.

Seria mais fácil uma novidade, um outsider como Joaquim Barbosa, ou uma política como Marina Silva, que não é identificada com o governo, ter espaço para crescer contra Lula e Bolsonaro.

Recado de Lula ao mercado: “Vão ter que me engolir”

Durante o ato de lançamento da caravana no Espírito Santo, na noite desta segunda-feira 4, o ex-presidente Lula alertou o mercado que não adianta “ficar fazendo terrorismo” sobre sua possível vitória em 2018; “Porque ‘ah, se o Lula ganhar o mercado vai ficar preocupado’. Olha, primeiro que eu não vou pedir voto para o mercado. O mercado vai precisar muito mais de mim do que eu dele”, discursou;

 “Porque o mercado sabe que quando eu cheguei na presidência a gente devia R$ 30 bilhões pro FMI. Hoje tem reservas de mais de R$ 250 bilhões e o FMI é que deve dinheiro para nós. Eles sabem que criamos milhares de empregos com carteira assinada. Eles sabem que vão ter que me engolir”, completou.

Lula disse que irá respeitar quem quiser ser candidato, pois “todo mundo tem direito”. “Eu não vou fazer que nem o Aécio, que não respeitou a vitória da Dilma”, lembrou, sobre a eleição presidencial de 2014.

Ele voltou a dizer que quer disputar com um candidato apoiado pela Globo. “Tudo o que eu quero é que eles encontrem um candidato representante do mercado e com o logotipo da Globo na testa. Se puder ter o logotipo da Globo, da Veja, da Istoé, melhor ainda. A gente vai derrotar”.

“Se a Globo quer ter candidato, que tenha coragem de dizer que a Miriam Leitão vai ser ministra da Economia, que o William Waack vai ser ministro da Igualdade Racial”, debochou.

Lula afirmou que não tem problema que ele não tenha apoio do mercado ou da mídia. “Eu tenho apoio do povo brasileiro”, concluiu.  (BR 247)

PGR denuncia Geddel Vieira Lima por lavagem de dinheiro e associação criminosa

A Procuradoria-Geral da República denunciou nesta segunda-feira (4) o ex-ministro Geddel Vieira Lima ao Supremo Tribunal Federal (STF) por lavagem de dinheiro e associação criminosa. A informação é do G1.

A denúncia se refere ao caso dos R$ 51 milhões em dinheiro vivo atribuídos a Geddel, pela Polícia Federal (PF), encontrados em malas em um apartamento em Salvador.

A PGR também acusou formalmente mais cinco pessoas: o irmão de Geddel, deputado federal Lúcio Vieira Lima; a mãe deles, Marluce Vieira Lima; o ex-assessor Job Ribeiro que trabalhava com Lúcio Vieira Lima; o ex-diretor da Defesa Civil de Salvador Gustavo Ferraz e o sócio da empresa Cosbat Luiz Fernando Costa Filho.

Agora caberá ao ministro Edson Fachin, relator do caso no Supremo Tribunal Federal, decidir se eles viram réus ou não.

A procuradoria aponta como possíveis fontes dos R$ 51 milhões: propinas da construtora Odebrecht; repasses do operador financeiro Lúcio Funaro e/ou desvios de políticos do PMDB.

Os procuradores também avaliam se um parcela dos R$ 51 milhões corresponde à parte dos salários de assessores que, segundo a PF, eram devolvidos aos Vieira Lima. Isso será apurado em um inquérito da Polícia Federal que investigará peculato (crime cometido por servidor público).

Na semana passada, a Polícia Federal concluiu o inquérito que investigou a participação dos acusados no caso. O documento da Polícia Federal detalha as razões pelas quais considera ilegal a origem dos R$ 51 milhões encontrados no apartamento em Salvador:

“Não é crível que uma pessoa dispusesse da absurda quantia se não houvesse o propósito de ocultar a sua existência; nem que duas figuras públicas com a inteligência do parlamentar Lúcio Vieira Lima e seu irmão Geddel, além de sua mãe, deixassem de auferir rendas se este valor estivesse devidamente declarado e formalmente inserido no sistema financeiro nacional e destacou a obrigatoriedade legal, moral e de transparência que esses representantes do povo tem de manter suas contas e finanças.”

Segundo as investigações, o dinheiro pertence a Geddel, e Lúcio Vieira Lima providenciou o apartamento onde as malas estavam guardadas.

De acordo com a PF, as impressões digitais de Gustavo Ferraz, Job Ribeiro e Geddel Vieira Lima foram encontradas nos sacos que envolviam o dinheiro. Job colaborou com as investigações. Afirmou à Polícia Federal que, a mando de Geddel e Lúcio, jogou documentos no vaso sanitário.

Tucano das reformas de Temer, Rogério Marinho defende aliança com PMDB em 2018

Enquanto a maior parte dos parlamentares do Congresso Nacional foge de temas polêmicos que podem colocar em risco suas reeleições, o deputado tucano Rogério Marinho (PSDB-RN) age de forma diferente e assume as missões do Palácio do Planalto de relatar algumas das alterações legislativas impopulares do presidente Michel Temer. Aos 54 anos, em seu terceiro mandato em Brasília, relatou por exemplo a reforma trabalhista e a revisão dos planos de saúde, cuja fase final de tramitação foi adiada duas vezes. A informação é do AE.

No momento em que o futuro da relação dos tucanos com o Planalto está sendo discutido, ele defende o apoio da bancada à reforma da Previdência e a formação de uma candidatura única de centro liderada pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e apoiada pelo Planalto. “A centro-direita ainda não está ocupada. De um lado há o Bolsonaro (deputado federal pelo PSC no Rio de Janeiro) e de outro o Lula (ex-presidente da República). A ocupação será feita a partir da consolidação de uma candidatura unificada, até com apoio de outros partidos da base.” Sobre a reforma da Previdência, diz: “O momento agora é de apoiar a agenda que nós propusemos ao governo federal. Eu mesmo vou votar a favor. A maioria entende que o apoio independe de posição no governo.”

Lava Jato anuncia devolução de R$ 600 milhões à Petrobras

O Ministério Público Federal no Paraná anunciou nesta segunda-feira (4) que vai realizar a devolução de R$ 600 milhões à Petrobras, recuperados por meio de acordos de delação premiada e de leniência celebrados no âmbito da Operação Lava Jato. “Será a maior quantia já devolvida em uma investigação criminal no País”, revela a Procuradoria.

O repasse será feito na quinta-feira (7), diretamente à Petrobras durante evento com o presidente da estatal petrolífera, Pedro Parente, em Curitiba – base e origem da Lava Jato. A informação é da Estação conteúdo.

Será a quarta devolução da Lava Jato à Petrobras. Em novembro de 2016, o Ministério Público Federal no Paraná comunicou a restituição de R$ 204,2 milhões em recursos da corrupção recuperados pela Operação Lava Jato para a estatal.

A soma das três transferências anteriores bateu em R$ 500 milhões.

TRE realiza projeto ‘Eleitor do Futuro’ em Caruaru

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE) promove na quarta-feira (6) em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, mais uma edição do Eleitor do Futuro. O evento começa às 9h, no Senac e tem o objetivo de estimular a formação política de criança e jovens, destacando sempre a importância da democracia. A informação é do site G1.

A edição contará com a presença do presidente do TRE-PE, desembargador Luiz Carlos Figueiredo, e serão apresentados vários exemplos pessoais de superação. Nesta edição, os jovens e adolescentes poderão se inspirar com as histórias de vida do Maestro Bitonho, que coordena um projeto social na Prefeitura de Caruaru, e do juiz da 5ª Vara Cível da cidade, José Fernando Souza Santos.

O programa, que é executado pela Escola Judiciária Eleitoral (EJE) do TRE, vem promovendo e capacitando crianças e adolescentes de 7 a 17 anos em matéria de educação política, por meio de atividades pedagógicas diversas como palestras e simulações de eleições com urnas eletrônicas.

Ministério da Educação só recuperou 18% dos R$ 3,6 bilhões cortados no ano

Ministério da Educação (MEC) só conseguiu recuperar cerca de 18% dos R$ 3,6 bilhões congelados de seu orçamento direto previsto para 2017. No ano passado, o contingenciamento foi maior, de R$ 6,4 bilhões, porém a pasta conseguiu recuperar 73% do valor congelado, o equivalente a R$ 4,7 bilhões.

Na quarta-feira (29), o MEC informou ao G1 que conseguiu recuperar R$ 654,4 milhões do orçamento previsto, e que isso permitiu concluir todo o repasse previsto para as universidades federais. Em nota, a pasta afirmou que “ainda negocia junto ao Ministério do Planejamento uma liberação adicional visando atender as despesas da pasta”. Os R$ 654,4 milhões representam 18% do corte anunciado de R$ 3,6 bilhões em despesas diretas da pasta.

PIB cresce 0,1% no 3º trimestre, na terceira alta seguida

 

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 0,1% no terceiro trimestre deste ano, na terceira alta seguida na comparação com os três meses anteriores. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (1º) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em valores correntes, o PIB alcançou R$ 1,6 trilhão, informa o G1.

Os economistas ouvidos pelo G1 previam uma variação do PIB maior no terceiro trimestre. No entanto, eles ressalvam que a variação de 0,1% no período foi compensada por uma revisão no resultado do PIB acima das expectativas. “O 0,1% espantou um pouco, mas é preciso ter cuidado nessa análise, porque o IBGE revisa bem as contas no terceiro trimestre e isso mudou bem a dinâmica trimestral”, afirma Alessandra Ribeiro, economista da Tendências, que projetava uma alta de 0,4%.